Vigilância eletrônica | tecnologia a favor da segurança

Data: 10.Set.2014
Fonte: Diário Catarinense


Clique aqui e leia matéria direto da fonte.

Câmeras de monitoramento de alta definição, alarmes controlados remotamente e sistema de reconhecimento facial são alguns dos itens que começam a entrar na vida dos brasileiros e apontam tendências na área de segurança eletrônica.


Algumas dessas tecnologias estão na 14ª edição da IACP Interseg – Feira Internacional de Tecnologia, Serviços e Produtos para a Segurança Pública, que ocorre no CentroSul em Florianópolis, até amanhã, fechada para especialistas do setor.


Dados da Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese) mostram que o setor cresceu em média 10% nos últimos seis anos no Brasil. Porém, os clientes corporativos ainda são maioria, com 85% do consumo no país.


– O consumidor brasileiro ainda é mais reativo do que preventivo. Então, ele procura o equipamento depois que a tranca foi arrombada – avalia Oswaldo Oggiam, diretor da Abese.


SETOR FATUROU R$ 4,6 BILHÕES

Câmeras controladas remotamente e sistemas de controle de acesso, como sensores e cercas estão no topo das preferências dos consumidores. De acordo com Oggiam, a força policial, por exemplo, reforçou o investimento em sistemas de segurança há três anos. No levantamento da Abese, os órgãos governamentais respondem por 9% do faturamento das empresas de segurança eletrônica, que em 2013 alcançou R$ 4,6 bilhões no Brasil.


João Carlos Trindade, consultor técnico da feira, ressalta que a demanda por equipamentos de segurança mudou significativamente na última década devido à tecnologia empregada.


– Com a Copa do Mundo, instituições brasileiras fizeram esforço para integrar todos os sistemas para dar uma resposta mais rápida à criminalidade – diz.


Posto informatizado

Helper é um posto avançado de segurança que pode substituir os postos convencionais e deixar policiais mais livres para fazer rondas, por exemplo. Conta com botão de emergência, canal de comunicação direto com a autoridade de segurança, câmeras de gravação e transmissão de imagens, sirene e comunicador. Custa cerca de R$ 8 mil mensais e já foi adotado por São José dos Pinhais e Pinhais (PR).


Visão policial

A AXONflex é uma microcâmera feita para ser usada em ações policiais. Proporciona agilidade da informação armazenada, além de guardar as imagens na nuvem, possibilitando o acesso de qualquer lugar. Já é utilizada pela Polícia Rodoviária Federal do Rio Grande do Sul e da Bahia, entre outros. Funciona através de Bluetooth. Valor fica em torno de R$ 5 mil, dependendo da quantidade de horas, software e montagem.


Viatura do futuro

Carro inteligente equipado com tecnologias de radiocomunicação, escaneamento de placas e câmeras de monitoramento. A solução é da Motorola Solutions. O sistema já é comum nos Estados Unidos, mas agora começa a ser utilizado no Brasil. As imagens registradas por três câmeras não podem ser alteradas. A tendência é a comunicação através de imagens e mensagens de texto para dar mais segurança e agilidade às ações policiais.


Reconhecimento facial

O Bioface 68K é um produto que integra leitor de cartão, sistema de senha, impressão digital e reconhecimento facial. O instrutor técnico da CS Comunicação e Segurança – empresa de São José que comercializa o produto – explica que é possível armazenar até 500 faces no equipamento, que é vendido por cerca de R$ 2 mil. O equipamento pode ser usado em empresas e condomínios.

#

Rio de Janeiro
Avenida Salvador Allende, 6.555
Barra da Tijuca - CEP: 22870-160
Rio de Janeiro - RJ - Brasil
Tel: (21) 2441-9100 | Fax: (21) 2441-9398
São Paulo
Rodovia dos Imigrantes, km 1,5         
CEP: 04329-900
Tel: (11) 5067-1717